Jesus, a revelação

Texto: Lucas 2: 1 – 20

Qual o verdadeiro sentido do Natal? É muito improvável que Jesus tenha nascido em 25 de dezembro. Nesta época, em Israel, é um período muito frio. Em outras palavras não havia pastagem ou comida para as ovelhas. Elas não estavam pastando, na verdade estavam protegidas do frio, no Aprisco.

A data 25 de dezembro foi instituída por Constantino. Ele foi um imperador adorador do Deus Sol, que cultuava o Solstício. Nesta estação, conhecida por nós como Inverno, era costume matar muitos animais, salgar suas carnes para desta forma diminuir a quantidade do trabalho. As colheitas também proporcionavam muito vinho. Desta forma, muita carne e bebida se encontravam em grandes festas da época. Conta-se também, que um bispo da região de Marselha, chamado Nicolau, sendo muito rico e caridoso, doava parte de suas moedas de ouro aos pobres, utilizando-se para isso as chaminés das casas para deixar o dinheiro. Esta e várias outras histórias deram origem ao que hoje conhecemos como Papai Noel e Natal.

Então, o Natal é uma festa pagã ou cristã? A comemoração do nascimento de Jesus é uma festa cristã, mas as guirlandas, duendes, renas e outros “acessórios” são parte da festa pagã romana, instituída por Constantino. Por causa disso, sabe-se que no século dezesseis, os puritanos americanos e europeus proibiram a comemoração do Natal.

Contudo, qual é a revelação deste dia, Natal, para nós? Será que ele nos traz algum ensinamento? Será que sabemos quem é Jesus em nossas vidas? Conhecemos Deus de fato? A data é apropriada, no entanto, para refletirmos sobre o nascimento de Jesus.

O teólogo americano, Jack Miles, escreveu o livro Deus, uma biografia. Neste livro que mais parece uma manifestação ateísta, ele cita uma frase: Deus faz parte da nossa genealogia. É como se Deus fosse um bisavô, um parente muito distante. Apesar de ter criado tudo no mundo, hoje não temos muita intimidade com esse Deus. É um parente distante, com quem não tenho relacionamento, mas que sei que existe. Mas que influência esse parente teria na minha vida, hoje?

Deus para muitas pessoas é apenas uma informação, um ilustríssimo desconhecido, de quem pouco se sabe. Deus é falado e comentado em muitos ambientes, mas principalmente no ambiente religioso, nas igrejas. Para algumas pessoas, Deus se faz presente apenas no culto de domingo à noite. Qual é a influência de Deus na sua vida? Não vamos citar outra religião ou denominação. Vamos nos ater a nossa igreja e família Monte Sião. Dentro das igrejas evangélicas, como a nossa, existem diferente tipos de pessoas. Dentre esses:

Pessoas religiosas. São aquelas que conhecem Deus, mas não se relaciona com Ele. Chegam a se relaciona com Deus, mas superficialmente, sem intimidade. O religioso busca a Deus porque Ele tem poder, inclusive para matar ou dar vida, para abençoar ou amaldiçoar. Muitas vezes entregamos nossos dízimos para um mafioso, com medo das maldições e problemas financeiros advindos dos problemas de não ter dizimado. Na verdade, você precisa ter expectativas das bênçãos de Deus. Dizimar por medo é uma atitude com motivação errada.

O religioso busca Deus assim, por medo e porque ele é solucionador de problemas. Deus é um deus de amor. Na cabeça dessas pessoas, existe um Deus que faz acepção de pessoas.

No ambiente da igreja, temos também os socializados. Eles estão aqui por causa dos amigos, dos filhos que já nasceram aqui dentro. Às vezes nem toleram algumas pessoas, mas por causa da socialização, continuam vindo à igreja. Os socializados buscam interatividade, amizades e diversão.

Existem também os militantes que vêem a igreja como uma ONG: ação social, cestas básicas, ajuda ao pobre, auxiliam as casas de recuperação. A teologia da Libertação levou a igreja para o caminho do papel social, um agente de defesa dos direitos humanos, da mulher, da criança, dos jovens e órfãos. Essas pessoas vêm à igreja como uma instituição que ajuda pessoas, em outras palavras, uma entidade de direitos humanos. Aqui encontramos pessoas inteligentes, psicólogos, filósofos, teólogos, sociólogos e outros profissionais que levantam suas bandeiras.

Existem também os moralistas que acreditam que a igreja é a última reserva moral da sociedade. A igreja possui um discurso interessante e que prioriza e defende a família. Ela possui um conjunto moral muito bom e muito forte para defender.

Temos também os oportunistas. Por que você está aqui? Porque tem gente boa naquele lugar. Eles acreditam nas pessoas. Você é assim? Chegamos a pensar nessas pessoas apenas como fruto de ficção. A psicologia diz que estas pessoas existem e não existe cura para seus problemas. Não é obra de novelas ou filmes, é uma realidade nua e crua.

Quando descobrimos pessoas assim, no nosso meio, ficamos assustados. Pensamos em apenas pessoas boas neste lugar. Infelizmente não é assim. Isto é real. Na igreja existe joio e trigo. Você identifica o joio porque na parábola lemos que os trabalhadores identificaram o trigo e o joio. Contudo, não é confiável de arrancarmos porque não temos 100% de certeza que iremos arrancar apenas o joio, o trigo pode ir junto. Pessoas estão na igreja porque acreditam e confiam. Algumas pessoas estão aqui por oportunismo. Imagina se tivéssemos um sensor de santidade na porta? Ninguém estaria aqui, com certeza. Na igreja, entram todos os tipos de pessoas. Não existe igreja perfeita. Se você a achar não vá pra lá, porque ao ir pra lá, você estragará essa igreja. Jesus mesmo disse que existe joio e trigo.

Tem pessoas também que são chamados de os apaziguados. Aqueles que chamam a oração do apóstolo de poderosa, com um povo de energia boa e lugar cheio de paz. Em qualquer lugar onde essa pessoa estiver e sentir uma energia boa ficarão lá, inclusive num terreiro de macumba. Mas essas pessoas não sabem nada sobre Deus. Pensam no lugar como uma fonte de energia, mas Deus é totalmente desconhecido.

Tem também os espiritualistas. Eles são um pouco difícil de lidar. São aqueles da salada religiosa. Misturam tudo para se sentir bem. Mande-me um Power Point e direi quem és. Palavras como luz, paz, amor e outras, com música ao fundo e uma lição de moral no final acaba por impactar esse tipo de pessoa. Pode ser uma mensagem espírita ou de qualquer outra natureza, mesmo assim os espiritualistas se sentem bem em retransmitir tais mensagens para outros contatos. Sua espiritualidade está naquilo que você crê que preenche o mais profundo do seu ser.

Um filósofo chamado Aldous Huxley escreveu um livro chamado Filosofia perene e neste livro ele faz um estudo de muitas religiões e procurou o que havia de comum em todas elas. Apesar das semelhanças, ele também descobriu uma particularidade do Cristianismo. É a única religião que descreve Jesus como um deus encarnado. Quando entendemos essa revelação entregue a pessoas “especiais” tudo fica mais fácil.

Temos a tendência de dizer que Deus nos disse o que estamos falando. Isso é muito perigoso. Queremos dessa forma conduzir o pastor da igreja, com essa ideia errada de que Deus falou algo específico. Jesus é revelação.

C.S. Lewis escreveu um livro chamado “As cartas do inferno”. Numa dessas cartas, um demônio mais velho e experiente conversa com um demônio mais novo e inexperiente. Este último foi enviado para acompanhar um jovem. Numa das cartas o jovem demônio escreve ao seu “chefe” que o rapaz estava namorando uma menina crente. Mais tarde envia outra carta relatando a conversão do jovem rapaz. O demônio mais velho responde dizendo que a missão do companheiro era impedir que aquele jovem não compreendesse que Jesus era único. Ele deveria fazer o jovem crer em Jesus, mas também em várias outras coisas, caso contrário eles perderiam aquela vida. Crer em Jesus e em mais dez Power Points não representa ameaça nenhuma ao inferno.

Jesus é a revelação. Nestes últimos dias, o maior objetivo do diabo é que o filho de Deus não seja a revelação ou recebido como tal. No Natal, apenas Jesus é problema para o inferno. Natal com apenas árvore de Natal é muito pouco. É preciso presentes, comida, bebida, árvore, luzes, Papai Noel e tudo mais.

Em Lucas capítulo dois, os anjos revelam Jesus como o salvador da Humanidade. Jesus é a revelação. Questionamentos nos proporcionam crescimento. Perguntas são relevantes e precisam ser respondidas com profundidade. O texto acima relata o grande mistério de Deus. A Bíblia nos coloca de joelhos diante de algumas revelações. No verso 15 – Jesus é revelado por meio do Pai. Deus é quem diz quem é Jesus. Ele aponta a direção para o filho. Algumas pessoas não têm revelação. Outras estão cegas em seu entendimento. Algumas pessoas estão há tanto tempo na igreja e não conhecem a Deus. Outras, apenas ouvem uma música e se convertem.

Como se dá a revelação desse mistério? Como se dá a revelação de Deus? Vamos passear pela Bíblia e quem sabe, descobriremos esse Jesus. Sem essa revelação você não passa de um religioso frequentando, semanalmente, um clube. Depois de 38 anos, Jesus passou pelo tanque de Siloé e curou o homem cego. Não importa quanto tempo você esteja aqui, Jesus um dia irá consertar sua vida. O cego de Jericó teve sua vida mudada quando Jesus passou por ele. Porque ele estava na porta, onde esteve durante muito tempo.

O cristianismo é uma “religião” de revelação. Sem revelação de Deus não se conhece Jesus. João 6 relata a revelação de Jesus, por meio de Deus. Na estrada de Emaús, enquanto caminhava Jesus com os dois discípulos, ensinando sobre os mistérios de Deus, eles não compreenderam a revelação de Deus ao seu lado. Deus assim o quis. Apenas quando Jesus dá graças ao alimento, nesse instante, seus olhos se abrem e eles percebem Jesus, mas este desaparece diante dos seus olhos.

Em 2 Coríntios 4:4 Paulo escreve que o deus deste mundo cegou o entendimento das pessoas. E apenas Deus pode tirar as escamas dos olhos. Efésios 2:8,9 – a salvação é dom de Deus, por meio da Fé. Quem dá Fé? Deus. É Ele quem distribui esse dom aos homens. Sem fé você não pode compreender Jesus, mas para ter fé, é necessário conhecer a Deus, primeiro.

Atos capítulo 8 lemos sobre a conversão de Simão, o mágico. Ele oferece dinheiro a Pedro pela mesma unção que operava em sua vida. Pedro o adverte e enfatiza sobre a possibilidade de ser perdoado por Deus (quem sabe Deus irá perdoá-lo…).

Charles Finney, grande pregador e avivalista, reuniu grandes multidões no seu tempo. Ele tinha o seguinte costume em suas ministrações. Ao falar de Jesus, ele deixava bem claro que a pessoas deveria buscar a salvação, mas que caberia a Deus entregá-la ao homem. Quem sabe Deus poderia salvar aquelas pessoas.

I Coríntios 11 escreve que ninguém reconhece Jesus senão pelo Espírito Santo de Deus. Em João capitulo 15 lemos que é o Espírito de Deus quem convence o homem a respeito de Jesus. Romanos 11: 24 e 25 lemos sobre o grande mistério de Deus não se revelar aos judeus, como nós temos o conhecemos neste tempo.

Hoje, o que devemos celebrar é o CRER. A revelação de Cristo pertence a Deus decidir revelar a quem ele desejar. As pessoas só conhecerão Jesus se este for revelado pelo Pai, por Deus. Pessoas estão há mais de vinte anos na igreja e ainda não conhecem esta revelação. John Wesley orou a vida inteira pela conversão de um amigo. Por ironia ou humor de Deus aquele amigo de Wesley se converteu no culto fúnebre dele.

Conseguimos ver a diferença entre joio e trigo. Podemos ter grandes possibilidades de acertar, mas nunca serão 100%. Cabe a nós continuar anunciando o evangelho e falando da revelação de Deus: Jesus. É através do fruto que a árvore é denunciada e conhecida como boa ou ruim. É pelo seu fruto que se sabe se Jesus já foi revelado a você ou não.

Para terminamos, temos três dicas para sua vida:

1) Nunca reclame da igreja, porque hoje você teve a revelação de aqui temos joio e trigo. Não devemos reclamar de todos. Alguns têm revelação e outros não. Não desista de receber a revelação de Jesus, nunca.

2) Que você caia de joelhos e agradeça a Deus pela revelação do seu mistério: CRER

3) Não se canse nem seja displicente. Mergulhe na Palavra porque é pelo ouvir que vem a Fé. Por meio do ouvir a fé será gerada em seu coração e esta vai gerar a salvação. Ninguém vai receber a revelação se não for pela fé.

Continue. Insista e receba a revelação. Receba a cura.

Ap. Anselmo Valadão

26.12.10

Publicar um comentário