Ainda não há comentários

A oração implica uma mudança de História

Texto:

Mateus 6:9 – 13

9 – Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

10 – Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;

11 – O pão nosso de cada dia nos dá hoje;

12 – E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

13 – E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.

Oração é um estilo de vida. Com ela, você pode mudar a sua história ou a da humanidade. A oração muda tudo: você, sua casa e tudo ao seu redor. A oração é uma ferramenta que Deus deu a você, por isso você deve valorizá-la.

Oração não é um problema para o crente. Todos oram. Uns mais, outros menos. Jesus estava dando aos seus discípulos o entendimento sobre como orar. É importante você saber como orar.

Um homem tinha uma fazenda, uma boa fazenda. Ele resolve fazer uma viagem para bem longe e deixa seu empregado tomando conta de tudo. Na cidade, tudo o que precisasse já estava autorizado a pegar. O patrão, quando voltasse, acertaria tudo.

O dono demorou a voltar. Quando chegou, observou a porteira quebrada, o pasto sem cuidado e quanto mais se aproximava da sede da fazendo, mais problemas ele via. O curral estava sujo e sem gado. No interior da casa, todos os móveis estavam estragados, rasgados por animais, tendo portas e janelas abertas. O patrão ficou preocupado com o que tinha acontecido no lugar.

Foi então procurar o empregado que ficou responsável pelo cuidado da fazenda. A porteira estava pintada. A grama na entrada da casa era importada e a casa estava reformada com novos cômodos, além de uma caminhonete cabine dupla na entrada. O empregado estava assentado num sofá muito caro, assistindo TV em um aparelho de LCD de 42 polegadas.

O empregado ficou feliz de ver o patrão. “Entre e fique a vontade, chefe”. O patrão questionou o porquê da fazenda estar daquele jeito. O empregado disse: fiz exatamente como o senhor disse, comprei tudo o que precisava. Tenho as notas fiscais para provar. O patrão disse: “não era para a sua fazenda, mas para a minha, na qual você é empregado.”

Tem pessoas que oram para si. Não se preocupam com nada ao seu redor, apenas consigo mesmo. Muitas pessoas estão preocupadas em gastar, comprar e orar para os seus próprios deleites. A oração implica uma mudança de história.

A oração muda a história. Não somente a minha história, mas a história da Humanidade. Quando Jesus ensina seus discípulos, ele diz sobre o Pai que está nos céus. Jesus está ensinando que devemos orar pelo pai, não ao Pai. Jesus mudou o conceito de Deus daquela nação. Todos os líderes, antes de Jesus, não falavam de Deus como um Pai. Quando citavam Pai, não falavam de proximidade ou intimidade, mas referiam-se ao fato de que todos são filhos de Deus.

Há uma diferença entre criatura e filho. Ao falar de Deus como pai de todos, estavam falando do Deus que é o Criador de todos. A palavra Pai, aqui, está em aramaico, porque não existe em hebraico com esse sentido de proximidade e intimidade. O sentido do texto acima é de alguém que gera outra pessoa.

Jesus trouxe outro conceito, Pai como alguém perto. As outras religiões falam de deus, sem contudo possuir essa intimidade com ele. Jesus foi o único que ensinou essa nova realidade. Deus é um ser eterno e reconhecido como Pai. Dessa forma, ao orarmos assim (pai nosso que estais no céus) estamos orando não para nós, mas para ele (Deus, nosso Pai). Quando oramos, fazemos isso a Deus, pelo seu nome. Que seja feita a sua vontade deve ser a nossa única oração. Tudo é de acordo com a vontade do Pai.

Não dá para estar só, em momento algum. Deus sempre estará ao alcance de uma oração. Fazer a vontade de Deus significa estar na presença dele. Jesus não veio acabar com a história da Humanidade. Mas ele veio mudar os rumos dela. A chegada de Jesus não foi o fim da raça humana, mas o fim da sua maneira de pensar ou viver a vida do seu jeito.

Jesus começa a dizer sobre a vontade de Deus que prevalece sobre todos. Deus está me olhando e, portanto, nunca estarei sozinho. Jesus ensina sobre o Pai que deve ser buscado. Santificado seja teu nome significa fazer a tua vontade. Fazer a vontade de Deus é deixar que a vontade d’Ele prevaleça sobre a minha. Jesus entrou na nossa vida e mudou tudo.

O pão nosso de cada dia significa que somos dependentes de Deus. Não se fala de “meu” mas de “nosso” pão diário. Watchmen Nee fala de um chinês que plantava arroz, uma planta que necessita de muita água. Ele desenvolveu um sistema de irrigação que molhava sua plantação. Os vizinhos, porém sabotaram o tal sistema. Ele consertou, mas novamente fizeram o mesmo. Pela terceira vez ele consertou e outra vez quebraram. Como crente, procurou seus lideres para pedir orientação. Ele explicou o caso e então pediu uma opinião sobre como proceder. Os lideres pediram uma semana para orar. No final da semana, eles disseram: você deve fazer um sistema de irrigação para cada um dos seus vizinhos. Ele decidiu acatar a orientação dos lideres.

Muitas vezes, discípulos não querem ouvir as orientações dos líderes. Eles então mudam de igreja. O chinês fez como orientando pelos seus líderes. Fez um sistema de irrigação para cada vizinho e por último consertou o seu. Nunca mais estragaram o seu sistema de irrigação. Os vizinhos perguntaram porque ele fizera aquilo. Você sabia que éramos nós? Sim, sabia de tudo. Se eu não fosse um cristão poderíamos brigar, mas como cristão Jesus me ensina a pagar o mal com o bem. Os vizinhos pediram que ele falasse mais desse Jesus. Com aquela atitude ele ganhou várias vidas para Jesus. O que poderia terminar em briga, findou em testemunho e salvação.

Entender o pão nosso de cada dia, é entender que devo participar da comunidade. Eu sou a padaria que distribuirá pão para quem necessita. Pessoas reclamam que Deus não dá a ele o que precisa. Deus diz, eu dei sim, mas dei para outro irmão que deveria repartir com você e ele não o fez. O que Deus está de dando é para participar com o próximo, ao seu redor. Ao olhar para Jesus na cruz, não dá para ser egoísta. Deus entregou para nos aquele que poderá abençoar a muitas pessoas.

Quando você ajuda as pessoas você santifica o nome de Deus. Não temos que orar apenas para nós. O que Deus tem de dado é para repartir com outras pessoas. Tem gente que retém e busca para si apenas. Não devemos pedir a Deus, mas por Deus. Estamos orando para que o nome dele seja santificado e sua vontade seja feita.

Jesus não veio por fim a Humanidade, mas ao egoísmo. O que é melhor? Ter muitas bênçãos ou distribuir muitas bênçãos? Quanto mais você reparte, mas você tem para repartir. Quanto mais você dá, mas você recebe. Quando Deus entrega algo a você é para repartir para que você receba mais dele. Quando entendemos isso, santificamos o nome de Deus, ou seja, não temos atitudes egoístas, assim estabelecemos o reino de Deus, com um novo estilo de viver. Santificar no nome é fazer a sua vontade. Como crentes, sabemos que se dentarmos e levantamos, Deus estará conosco. Se não levantar, eu estarei com Deus.

Perdoe as nossas dívidas. Perdão não é o nosso forte ou o estilo da Humanidade. Não é para nós, não é verdade? Olho por olho, dente por dente, Deus está falando de justiça. Quando perdemos um olho ou dente, sempre queremos arrancar os dois olhos do próximo ou a dentadura dele. O critério de justiça da Lei, fala que você recebe o que oferece. Um por um e não um por dez. Perdoar é uma nova modalidade para se viver.

Não nos deixes cair em tentação, estamos falando de um povo que saiu da rebelião e não deseja voltar mais para aquele lugar. Nós fomos libertos do pecado. O pecado é muito ruim e não tem nada para você. Jesus está dizendo que onde está o pecado, não existe nada que satisfaça sua alma.

Aprenda uma coisa: o diabo não pode ir até onde você está. Se você está em Jesus, no caminho de Deus ele não pode ir até você. Mas ele fica assobiando e mostrando o pecado, tentando seduzir você. Você pode ir aonde o diabo está: no roubo, mentira, no prostíbulo. O diabo não pode andar na luz, mas se você deseja você pode voltar para as trevas. O diabo é o príncipe das trevas porque não há nenhuma identificação por causa da ausência de luz. Ali, nas trevas não existe nada, nada palpável ou visível. Muitas pessoas querem dar ao diabo aquilo que ele não tem, como a música, manifestação de alegria. No inferno não existe alegria, som ou música.

A oração do pai nosso só pode ser feita da Igreja. A palavra é “da” igreja e não “na” igreja. Quando Jesus esta ensinando essa oração, Deus fala com você na sua individualidade, mas eu não posso falar com Ele na individualidade. Você entende isso?

Qual foi a pergunta feita a Caim? Onde está o seu irmão? Quando você se apresenta diante de Deus, a mesma pergunta será feita. Deus vai te ouvir, mas não sozinho. Na presença de Deus você nunca pede para Ele contemplar apenas você, mas uma comunidade inteira. Deus vai olhar para você e querer saber onde está o seu irmão. Por isso essa oração é da e não na igreja.

Dessa forma, quando Maria Madalena questiona os anjos sobre o corpo de Jesus. Ela pergunta ao jardineiro que fala o seu nome. Ela entende tudo, porque ninguém fala o seu nome como Jesus. Ele trata com você na individualidade, mas você fala com ele como igreja.

Você so pode falar com Ele na coletividade. Você faz parte de um corpo, uns aos outros. por isso que Sartre dizia: O outro é o meu inferno. Mas para nós, que conhecemos Jesus, o outro é uma benção. Você que está lendo essa mensagem é uma benção em minha vida e não um peso para mim ou minha família. Que bom que eu tenho você e que nos temos a todos.

Jesus veio estabelecer um novo conceito de Humanidade e de entender a coletividade. Ele veio ensinar o que é uns ao outros. Se estamos todos juntos, em Jesus comemos no mesmo prato e partilhamos tudo. O que é para mim é para todos.

Reflita nisso e seja abençoado.

Apóstolo Anselmo Valadão

Publicar um comentário