Ainda não há comentários

Amor – capacidade de ver a vida a partir do outro

Texto: I João 2: 4 – 14

 

João é considerado o apóstolo do amor. Ele foi um homem humilde, marcado pelo trabalho duro, pelas redes e pelo calor do sol em alto mar. Ele não teve formação teológica nem estudou sobre os grandes pensadores da Grécia.

João, um dia teve uma experiência com alguém que mudou sua vida. Este encontro com Jesus mudou sua vida e seu futuro. A partir daquele momento, ele conheceu o verdadeiro sentido da palavra amor quando conheceu Jesus, o próprio AMOR.

Antes, João conhecia o amor das novelas, dos filmes, da revista Caras, dos artistas, dos romances. Talvez o entendimento que antes ele tinha era este que hoje é comunicado nos outdoors que nem se aproxima do verdadeiro amor e seu real significado.

Depois te encontrar com Cristo, ele tem a revelação do verdadeiro significa do amor. No texto acima, João discorre a respeito deste assunto. Amor é a capacidade de ver a vida a partir do outro. Devemos nos despersonificar. Isto significa se colocar no lugar do outro. Às vezes, falar de alguém drogado é fácil porque na verdade a pessoa nunca teve contato com as drogas. Por causa disso, é muito fácil condenar o alcoólatra.

O amor não pode ser apenas discurso, apenas de palavras. O amor deve ser de atitudes. O que quero receber de alguém deve ser o que faço outro. O amor é a capacidade de querer para o outro o mesmo que para você.

O amor não é energia de pedras ou árvores ou da terra. A energia pode ser positiva ou negativa. João simplifica tudo para nós.

O amor materializa o bem (I Jo 3:16-18). Não se trata de uma enxurrada de palavras ou um exagerado derramar de palavras sem sentido e/ou objetivo. O amor traz a realidade a bondade.

O amor é a expressão mais madura da fé (I Jo 5:3) -. não trata-se de decoreba, mas de um desafio quanto a vontade explícita de Deus, pois nisso consiste o amor, em obedecer os teus mandamentos. Quando conhecemos o amor de Deus, passamos a ter uma leitura mais profunda da palavra de Deus. O seu entendimento se amplia além das doutrinas.

O amor é a visão que transforma homens em irmãos. As campanhas que se comprometem a ajudar as pessoas é um bom começo, contudo são campanhas que o homem enxerga o outro apenas como homem. Solidarizar-se com o outro e contribuir com sua causa é um bom começo, mas a palavra de Deus nos ensina que ao deixar o amor entrar em nossas vidas, encaramos o outro como irmão. Enxergue o outro como alguém da sua casa, como um irmão ou irmã. É preciso falar deste amor que produz a diferença.

04 questões importantes.

1ª – o amor nos põe na luz.

As pessoas tratam esta luz como se fosse um mistério, mas ela não é. Trata-se de algo de gente que ama. I Jo 2: 10-11. Muitas vezes, quando falamos que alguém está em trevas referimos àquela pessoa que não está frequentando nossas reuniões. Se ela está em outra igreja, chegamos a dizer que esta pessoa está na sombra. Isto acontece porque pensamos que a luz se encontra apenas onde nos reunimos como igreja. Chegamos ao ponto de monopolizar esta luz (evangélicos).

A luz está na vida daquele que ama seu irmão. Não se trata de uma questão religiosa. Se você ama seu irmão, você está na luz. Se você odeia, está nas trevas. Quem tem luz, tem seus olhos abertos, sem a possibilidade de tropeçar. Não é o conhecimento que lhe assegura a luz.

Se você consegue enxergar a necessidade do seu irmão é porque o ama e você o enxerga por causa do amor. Quando você ama alguém, está na luz e pode enxergar o outro e sua necessidade por meio do Espírito Santo. O amor acende a luz. Por trás da aparência, existe uma pessoa, seja ela feia, arrogante, assassina ou doente. Atualmente, está em voga a questão do bulling. Quem ama está na luz que permite ver a pessoa por trás do externo que todos vêem.

2ª – o amor interioriza a eternidade.

A teologia trata do tempo como sendo algum divisor entre evangélicos. Para muitos teolóficos, apenas após a morte é que desfrutaremos da Eternidade. É tudo para além do que conhecemos de tempo e/ou realidade.

I Jo 3:14 – a eternidade é fruto do amor. Não é que estou fora do tempo, mas o amor me engravida da eternidade. João, no texto citado anteriormente, escreve que já estamos na eternidade. Não entraremos nesta eternidade após a morte. O amor não te arranca do tempo, mas lhe enche de eternidade.

3ª – o amor promove conhecimento espontâneo e intuitivo de Deus.

I Jo. 4: 7.8 e 12. Se você ama, você conhece profundamente a Deus. Por meio do amor você passa a ter a visão correta de Deus. Todos os dias você tem 7 bilhões de chances de demonstrar o seu amor por Deus, amando casa pessoa ao seu redor. Quanto mais você conhece as pessoas, mais você as ama. Quanto mais se tem comunhão com Deus, mais você deseja amar as pessoas.

4ª – esse amor nos coloca acima do medo.

A Bíblia diz que o amor lança fora todo o medo. Existe o medo irracional tanto quanto o racional. O problema existe quando o medo se torna estúpido, uma fobia doentia.

Você já conheceu algum apaixonado com medo? Quando o amor invade nosso coração, vemos pessoas. Se vemos pessoas, vemos Deus e se eu O vejo é porque eu O amo.

I Jo 4: 18,19. Ele nos amou primeiro. Vem dele pra mim. É o amor de Deus em nós e de nós para as outras pessoas. Isto nos garante a paz e segurança para lançar fora todo o medo do inferno. O medo não pertence a Deus. Quem ama sempre recebe o melhor pagamento, porque tudo nesta vida tem a sua paga, o seu preço. “Qual é o salário do pecado? A morte”.

O salário da ambição é a conquista. Quem ama constrói vínculos de amizade, de paz, de segurança, de alegria, porque quem ama sempre tem o melhor pagamento. Quem trabalha para Deus basta a recompensa de tê-Lo conhecido. Você não deve abrir mão disto. O seu salário deve ser o Amor. Sua paga deve ser o Amor.

Escolha esta pagamento, hoje. Escolha o amor de Deus agora.

 

Ap. Anselmo Valadão

19.08.2012

Publicar um comentário