Ainda não há comentários

Conhecer e prosseguir em conhecê-Lo.

Texto: Atos 17:22: 34

Na ultima semana, relembramos como Jesus revela o Pai. Sendo filho, somente ele pode manifestar o Pai, ou seja, Deus. Durante algum tempo, estudando Gênesis, discorremos sobre o início da humanidade e como os primeiros habitantes buscaram a independência, tentados pelo Diabo, para como ele querer ser igual a Deus.

Em Atos, falamos sobre os primeiros crentes que começaram a igreja e a pregação do Evangelho. Hoje, nos denominamos como Igreja de Atos, que cumprem a mensagem da primeira igreja. O que eles praticavam no início é nosso padrão para hoje.

Hoje, não andamos atrás do desconhecido, mas conhecemos ao Senhor. No início do capítulo acima citado, Paulo está na Ágora, uma praça grega onde as pessoas discutiam idéias. Paulo está falando com estóicos, epicureus e filósofos ali presentes. Ágora era o lugar onde as pessoas eram livres para falar e anunciar suas idéias, pois Atenas era a capital da Democracia. Naquele lugar, Paulo falava de Jesus e anunciava o Evangelho.

Levaram então Paulo para o Areópago. Este era como uma câmara de senadores, com 31 membros que julgavam as causas das pessoas. Paulo estava ali pra defender suas idéias: “eu andei por esta cidade e vi que ela é repleta de ídolos. Vocês são muito religiosos e vi um altar para um Deus desconhecido”.

Os atenienses estavam querendo agradar a todos, sejam homens ou deuses. Pensando que aquele Panteão pudesse estar incompleto, decidiram homenagear o deus que eles não conheciam. Querendo ser politicamente corretos, adoravam todos os deuses, inclusive aquele que não conheciam, mas que julgavam existir, o então chamado deus desconhecido.

Paulo diz: vocês são muito religiosos. Mesmo assim, eles não conheciam Moisés, nem a Tora, Amós, Isaías, Jacó ou Abraão. Ele não chegou lá falando de nenhum dos patriarcas ou de nenhum dos outros personagens comuns à história do povo de Deus. Paulo fala dos poetas, como alguém entendido dos assuntos daquele povo. Um dos líderes do Areópago se converte diante do discurso de Paulo, quando ele fala da ressurreição de Jesus.

Paulo então começa a falar de um deus que aquele povo não conhecia, mas que criou todas as coisas a partir da sua palavra. Conta-se uma história que na Grécia houve um tempo em que uma grande praga matou quase a metade da população. Os gregos apelaram para os deuses e sacerdotes e nada aconteceu. Mas um sacerdote, Epimanes, retirando-se para uma campina, pediu que trouxessem cordeiros. Ao estender seu cajado caiu fogo do céu e queimou todo o sacrifício. Entenderam que adorar aos deuses era necessário para não serem assolados por pragas ou pestes, mesmo que soubessem o nome daquele deus.

Essa mentalidade grega está entre nós hoje. Pensamos que deixando de cultuar a Deus, traremos desgraças sobre nós. No capítulo 1 de Gênesis, Deus é apresentado como Iavé. Diante disso, o filho de Abraão é apresentado a um Deus consumidor, que faz grandes exigências às pessoas, que espera muito dos humanos. Naquele momento, Isaque poderia questionar a sua morte como única forma de estabelecer a promessa sobre a vida de seu pai, de fazer dele uma grande nação. Isaque poderia ter dificuldades em enxergar Deus como um Deus de amor.

Entendemos que se não entregamos o dízimo estamos com um grande problema. Pagamos o dízimo ou pagamos a farmácia, ou seja, atraímos doenças. Deus não é um carrasco. Questionamos onde está Deus que deixa uma criança ser atropelada por uma carreta mesmo quando seu pai se prepara para ser um pastor?

Atualmente, temos muitos conflitos dentro de nós, apesar das nossas ocupações. Podemos entender como conflito ou refrigério, paz e tranqüilidade. Depende do Deus que conhecemos. Quando falamos que Deus é tudo em nossa vida, na verdade ele não é nada. É isso que os atenienses estavam fazendo, um altar pra um deus que eles não conheciam. Abraão sabia quem era Deus, mas para Isaque, Deus era o carrasco que pede a sua vida. Abraão sabia que Deus não tiraria sua vida, mas o filho ainda não conhecia o Deus que o pai conhecia intimamente.

Não era minha vontade que aquela criança morresse agora, mas ela está comigo e se for preciso, tenho a vida e a ressurreição. Deus sabe como é perder um filho, e portanto, também sofre e chora com o pai que perde alguém. O nosso Deus é o Aba Pai.

É mais ou menos como um peixe que está na água. Ele não tem relacionamento com a mesma. Ele tem envolvimento com ela. Se ele sair para observá-la, ele morrerá. Paulo está falando dos poetas e filósofos. Está dizendo que sem Deus não existimos e não somos nada, assim como o peixe não toca na água, mas está nela. Moisés, ao perguntar pra Deus quem ele era, Deus diz: Eu sou. É como o ar que respiramos e que necessitamos para ficar vivos. É esse o sentido da palavra “eu sou”.

Não podemos dizer que Deus existe. Eu posso dizer que Deus é. Porque falar que ele existe é muito pouco. A busca de Moisés era para saber quem ele era. Deus não disse eu estou, mas disse eu sou. Ele não existe, Ele é. Não há nada que você possa fazer sem Deus. Assim como o peixe não é nada sem a água. Deus é aquele que te busca e te abençoa. Ele diz que teremos aflições, mas como venceu, nós também venceremos. Ele busca o seu coração. Não busca o seu dizimo, oferta ou sua presença aqui. Ele busca seu coração.

Quando Samuel perguntou a Saul sobre o barulho das ovelhas, o que ele disse? Eu vou ofertar, vou fazer um cultão, louvorzão e uma mensagem de arrombar com muito holocausto pra entregar a Deus. Samuel diz: Ele quer seu coração Saul. Tudo o que você entrega a Deus sem teu coração é bobagem. Ele busca o teu coração, busca você com toda a sua alma, corpo e espírito. Tudo o que você fez aqui hoje, se não foi de todo o coração, significa que você ainda tem um deus desconhecido. Faz tudo o que dizem aqui porque tem medo de perder o emprego, vir alguma peste sobre sua casa, sua família. Mas Deus te ama de verdade e quer estar com você, independente do que você faz para ele.

Isaias diz que existe um povo honra a Deus com os lábios, mas o seu coração está longe d’Ele. O que Deus quer? Deus quer o seu coração. Na vida você passa por muitas coisas, mas uma coisa que Deus quer que você viva e que Paulo prega em Atos 17:30 é que todos devem se arrepender. E no arrependimento você deve conhecer a Deus e ser revelado a ele. Jesus foi a prova de um Deus que quer se mostrar e quer ser revelado.

Deixemos de lado as supertições e conheçamos a Deus profunda e verdadeiramente. Um Deus que se importa conosco e se agrada nas nossas vidas e quer que também tenhamos prazer em conhecê-lo. Hoje é dia de você conhecer Deus como nunca o fez. Ele deseja se revelar a você, através de seu filho Jesus. Queira isso, busque isso com todas as suas forças.

Deus te abençoe.

Apóstolo Anselmo Valadão.

Publicar um comentário