Ainda não há comentários

Consciência ou Comportamento?

Texto bíblico: Mateus 7:24-27/Lucas 6:46-49

Na parábola das duas casas, Jesus não estava salientando a capacidade construtiva daqueles homens. Do ponto de vista de construir, os dois são habilidosos para erguer casas. Podemos concluir que quem construiu a casa na areia, levou menos tempo que aquele que construiu na rocha.

O que Jesus estaria querendo dizer com esta parábola então? Geralmente, uma boa casa destina 30% do valor total do investimento para sua base. Apesar disso, a maioria das pessoas não dá valor àquilo que não se vê. As pessoas não costumam elogiar a base de uma casa, porque ninguém a vê.

Jesus quer nos ensinar sobre a importância da base de uma casa. De que maneira você está edificando sua vida? Você constrói uma casa sob a base que você estabeleceu. Não pode ser o contrário.

A rapidez pode comprometer a qualidade do resultado da sua construção. Fazer um reparo de base é mais complicado que fazer algo certo, desde o início. A negligência na hora de construir a base pode comprometer o orçamento mais tarde. Jesus falava sobre dois homens, um tolo e um sábio.

Que tipo de base estamos construindo neste ministério? Quais são os princípios que queremos evidenciar? Qual o tamanho da obra que estamos edificando? Estamos no alicerce ou já levantamos as paredes? Que tipo de obra estamos fazendo aqui? O que estamos estabelecendo como princípio para sua vida?

Jesus não está falando da capacidade dos construtores. Os dois sabiam construir, mas que tipo de construção fizeram? Todos podem casar, mas que tipo de casamento terão? Todos podem ter filhos, assim como ter uma empresa, mas que tipo de resultados terão? Muitas vezes, agimos de forma precipitada. Inicialmente, tudo pode parecer muito lindo, mas quando o vento soprar forte, tudo ruirá. Adianta edificarmos algo desta forma? Apenas teremos prejuízos. Todos os dois homens tinham capacidade construtiva. Quem teve mais dificuldade para construir? Aquele que o fez na rocha é claro. Cavar na rocha é mais difícil e demorado.

Qual valor você dá para as coisas? Em que você dá valor? Naquilo que se vê ou não se vê? Sem fé é impossível agradar a Deus, isso exige valorizar aquilo que não se vê. Quando se fala de fé, fala-se daquilo que não se vê. quando você edifica sob aquilo que é invisível, isto dura por mais tempo. A base de uma casa, aquilo que não se vê é algo que irá perdurar por muito tempo.

Efésios capitulo 1, o apóstolo Paulo fala sobre os olhos do entendimento.Quando a Bíblia nos fala da árvore, relata que o fruto desta produz de acordo com sua espécie. Quando falamos a igreja, anunciamos a Palavra e anunciamos um evangelho de consciência.

Muitas vezes, construímos uma igreja comportamental, na qual a santidade é uma questão de comportamento e não de vida. Ser santo é produto de uma experiência com Deus. Jacó entrou no vale de Jaboque como usurpador e saiu como Israel. Santidade não é comportamento, mas uma consciência. A igreja deve ser uma questão de consciência e não de comportamento.

Para esclarecer.

Quando os 10 leprosos foram até Jesus, quantos foram curados? Apenas um foi curado e 9 sarados. Os que não voltaram não tiveram o privilegio de ter Jesus em sua vida. Do que adianta não ter mais lepra mas viver sem Jesus? Seus corpos não tinham lepra, mas suas vidas também não tinham Jesus. Queremos uma igreja comportamental, na qual vemos os milagres acontecerem. Você pode estar no lugar certo, com o comportamento certo, mas com a consciência errada.

Um motorista que deseja sair de Goiânia em direção a São Paulo, mesmo tendo todos os recursos necessários, sem a direção certa não alcançará seu destino. Você pode estar na igreja hoje, mas ainda estar perdido. Sabe que deve chegar a São Paulo, mas não sabe o caminho. Tem todos os recursos à disposição, mas não sabe o que fazer.

Leia 2 Co. 10:5. Nossa grande dificuldade é dominar nossa mente, nosso raciocínio. Vamos falar de perfeição. O que é perfeito? Qual igreja é perfeita? Existe casamento perfeito? Algumas vezes pensamos que o Éden era o plano de Deus. Se ainda vivêssemos no Éden, sem pecado, talvez fosse muito complicado porque pensaríamos o tempo todo quem seria aquele que pecaria ou qual filho que nascesse seria o primeiro homem a pecar. Viveríamos uma vida de grande temor e com muita confusão. Seria uma vida vigiada o tempo todo, sem nenhuma segurança.

O plano de Deus.

Este foi o plano de Deus. Ele criou o homem e da sua costela criou a mulher. Quando Adão chamou Eva de varoa, estava falando de si mesmo. Sua versão feminina era maravilhosa como ele também o era. Este era apenas parte do plano de Deus não ele todo. O plano de Deus era Jesus.

Deus adormece Adão e do seu lado forma Eva. Quando Jesus adormeceu, do seu lado saiu água e sangue, fazendo nascer a Igreja. Jesus teria a sua esposa, a igreja. Mas o que o homem preferiu? Preferiu ter o controle a conhecer a Deus.

Nos início de tudo, a igreja era perfeita, com dois membros e um pastor chamado Deus, que todos os dias, na viração do dia ministrava a estes membros. Todos os dias eles cultuavam ao Senhor. Deus será o seu pastor. Mas isto tudo ruiu.

A Palavra nos diz que somos salvos pela graça, mediante a fé. Isto nos ensina que tudo o que temos ou podemos ter de Deus não será através do comportamento, mas por meio da consciência. Conhecimento e confiança. Qual destes está relacionado a fé? Muitos diriam que é a confiança, mas na verdade o correto é fé. Fé é conhecimento. Precisamos conhecer a Deus.

É mais fácil ditarmos regras e comportamentos, mas não é o correto. Hoje, o que importa a você? Construir uma casa de qualquer jeito ou da maneira correta? O que hoje estamos fazendo? O que estamos edificando? Deixe o Espírito Santo falar ao teu coração nesta noite e faça a escolha correta.

Deus abençoe a todos.

 

 

17.06.2012.

Ap. Anselmo Valadão.

 

Publicar um comentário