Ainda não há comentários

Deus quer te dar novas vestes.

Texto: Gênesis 2:25 a 3:1-21.

6 – E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.

7 – Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.

8 – E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim.

9 – E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?

10 – E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.

No início, Deus criou um lugar especial, onde tudo funcionava de forma harmoniosa. No Éden, o homem tinha tudo o que precisava para ser feliz. Ali, Deus havia suprido o homem de tudo o que ele necessitava. Naquele lugar, o homem tinha consciência limpa, seu coração era puro e mesmo nu, homem e mulher não sentiam vergonha um do outro.

Quando o homem pecou, ele viu sua nudez e a do próximo. Vendo que estava nu, sentiu vergonha, porque a si mesmo desmereceu-se, não se aprovou, criticou-se, entrando em descrédito. Em outras palavras, Adão se sentiu incapaz e não merecedor daquilo que Deus havia feito para e ele.

Todos nós, em algum momento de nossas vidas entramos em descrédito quanto àquilo que Jesus fez por nós. Não nos achamos merecedores da presença de Deus. Olhamos para o próximo e nos sentimos incapazes. Diante da sua incapacidade, o homem assume que perdeu sua pureza, ou seja, agora possui a consciência do pecado.

Ao pecar, a humanidade começa a se achar incapaz, porque na verdade ela fez uma escolha diferente da de Deus. A partir daí, tenta esconder a nudez com folhas de figueira. São máscaras que tentam tapar a culpa e o pecado. Mascaramos nossa vida com roupas novas, perfumes da moda, se apresentando de forma a impressionar as outras pessoas.

O sentimento de culpa faz com que o homem use máscaras para se apresentar aos outros, tentando cobrir a vergonha de não se sentir merecedor. Qualquer forma de máscara esconde a culpa e consciência do pecado, na tentativa de ser aceito ou amado. A vida se torna dúbia. Relações são sabotadas e dificultadas pela falta de confiança no próximo. O resultado disso tudo? Fugimos de Deus, do próximo e de nós mesmos. A vontade de ser aceito ou amado faz com que as pessoas se escondam por baixo de máscaras. Mas quando estas caem, passa-se a conhecer o outro. O relacionamento sucumbe e se desfaz.

Jacó amava Raquel. Ao acordar da noite de núpcias e perceber que era Lia que estava ao seu lado, não se agradou do que viu. Muitas vezes, sonhamos com “Raquel”. Trabalhamos por ela, casamos com ela depois de muito tempo, mas acordamos com uma “Lia”. Para que o amor seja duradouro deve-se tirar as folhas de figueira, ou seja, as máscaras. A verdadeira relação não possui máscaras.

As folhas de figueira servem apenas para cobrir o vazio produzido pelo pecado. Contudo, quanto mais queremos mascarar as situações mais nos ausentamos da presença de Deus, mas fugimos d’Ele. Caminhamos em direção aos arbustos e árvores do jardim. Aí surge o chamado Vazio Existencial. Apenas conseqüência de escolhas erradas. O desejo de ser aceito ou amado faz o homem cozer roupas para si mesmo.

Mas Deus vai até onde o homem está, chama seu nome e pergunta porque se esconde. Ao ouvir a voz do seu Criador, o homem confessa seu medo, pecado e então percebe que as folhas de figueiras apenas escondem parte da sua nudez ou vergonha. Muitas vezes tentamos fugir da presença de Deus, usando medidas paliativas, mas Seu olho tudo vê e Ele está procurando por você.

Leia: Salmo 32.

Este salmo é para todos aqueles que estão vivendo com máscaras. Enquanto elas forem usadas, a verdadeira vida não será usufruída e até a que vida que você tem irá se esvair do seu corpo. A verdadeira vida vem de Deus. Quando você se recusa a tirar sua máscara e escolhe permanecer com vestes que não são as que o Senhor providenciou para você, sua vida não tem sentido.

Enquanto o homem estiver vestido de folhas não convencerá a ninguém. O pecado é retirado pelo sangue do Cordeiro, que limpa e purifica de toda imperfeição e culpa, assim como disse o profeta João Batista. (João 1:29 – No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo).

Leia I João 1:5-10.

O Senhor deseja que você reconheça seu pecado, porque seu senso de imperfeição faz com que você use uma máscara na tentativa de ser aceito ou amado. Deus, neste momento, está chamado seu nome, para que você saia de trás das árvores. Ele mesmo te vestirá com vestes de amor. Mesmo que você não se sinta merecedor é Jesus, o filho de Deus, o cordeiro que tira o pecado do mundo quem cobre seus pecados com seu próprio sangue purificador. (I Pedro 4:8 – Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados).

Tire sua máscara. Confesse seu pecado. Viva a verdade. Pratique a santidade. Deixe suas próprias vestes e tome aquelas que o próprio Deus preparou para você com o sacrifício perfeito do Cordeiro que tira o pecado do mundo.

Apóstolo Anselmo Valadão.


Publicar um comentário