Soberania versus Liberdade.

Gênesis 50:15-21

15 - Vendo então os irmãos de José que seu pai já estava morto, disseram: Porventura nos odiará José e certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos.

16 - Portanto mandaram dizer a José: Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo:

17 - Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai. E José chorou quando eles lhe falavam.

18 - Depois vieram também seus irmãos, e prostraram-se diante dele, e disseram: Eis-nos aqui por teus servos.

19 - E José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus?

20 - Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida.

21 - Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles.

A Bíblia não foi escrita para provar a existência de Deus, mas sim para aqueles que creem em Deus. Ela responde ao dilema da alma humana, descrevendo a realidade de cada pessoa. O autor de Gênesis olhou para sua realidade e perguntou: por que as coisas são assim? Como chegaram a esse tempo? Por que o mundo é desse jeito e por que as coisas funcionam dessa maneira?

O autor desse livro talvez estivesse em conflito, angustiado, fazendo perguntas existenciais, refletindo sobre a condição do homem. Baseado em sua própria perspectiva, ele oferece uma explicação: o mundo é o que é, em função da ação livre do ser humano. Ao se olhar no espelho, o autor contempla a si mesmo e se questiona: por que sou assim? Ora faço o bem, ora faço o mal.

Por que não reconheço o mal que pratico? Por que não consigo dominar o mal que está em mim? De onde vem isso? Por outro lado, ele consegue enxergar a bondade e então sua pergunta é a mesma? De onde vem tanta bondade?

Somos parte de uma sociedade violenta, que faz vitimas o tempo todo e nosso questionamento não muda. Por que fazemos isso? Ainda sim é possível olhar para todas essas pessoas e contemplar algumas praticando o bem, praticando atos de perdão e misericórdia. Na passagem acima citada, conhecemos um homem que apesar de ter sido maltratado pelos seus irmãos, não teve dúvidas de os tratarem com bondade.

De onde vem tanta maldade?

De onde vem tanta bondade?

O Dilúvio quase exterminou a raça humana. Por que Deus permitiu isso? Qual a explicação para as enchentes de Santa Catarina? E os tsunamis? Terremotos e tantas outras catástrofes? Seria o julgamento do planeta, condenando o ser humano? São eventos naturais ou existem razões sobrenaturais que justifiquem tais acontecimentos. Essas e outras perguntas assolam o coração de todos. Todos passam por tempos assim.

Por que fiquei doente exatamente agora que ganhei a bolsa de estudos no exterior?

Por que meu filho morreu prematuramente?

Por que roubaram meu carro, agora que estou sendo fiel nos meus dízimos e ofertas?

Estas e outras perguntas recheiam o livro de Gênesis e ganham densidade na vida de José. Sua história começa no capítulo 37. Ele é o filho predileto do pai e seu pai sempre ostentou isso com presentes e preferências. Ele chegou a sonhar que seus irmãos e até seus pais seriam seus escravos no futuro. O filho predileto e sonhador então se torna alvo dos planos maldosos dos irmãos. Depois de desistirem de mata-lo, eles o vendem para os midianitas e estes para os egípcios.

Quem teria mandado José para o Egito? Deus ou seus irmãos? Esse talvez seja o conflito máximo do primeiro livro do V.T. Houve um tempo em que as duas mãos de Deus tocavam a realidade humana. Em outro tempo, apenas as mãos humanas agiam. Até que chegamos a um tempo em que as quatro mãos, de Deus e dos homens fazem uma nova história.

Gênesis 45:7: Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento.

O próprio José sabia que Deus tinha propósito em todas as coisas. Poderíamos entender que Deus estava manipulando e usando os irmãos de José? Como ele seria capaz de permitir coisas ruins acontecerem?

José pega a pena e começa a escrever. Ele vai à frente do autor e grita: foi Deus, foi Deus quem fez e permitiu tudo isso. Aqui está o maior conflito da liberdade humana: se é Deus quem manda, o homem não tem responsabilidade alguma.

No capítulo 50, a soberania de Deus se contrapõe ao livre arbítrio do homem. Deus é soberano e o homem é livre. O homem, sendo mal em seu interior, usou de maneira errada a liberdade que Deus concedeu. Mesmo assim, Deus transforma o mal em bem, por causa da sua Bondade que está acima de todos. (Leia 1 João 4:4)

Quem levou José para o Egito? A bondade de Deus ou a maldade do homem? O autor diz ser as duas coisas. Tanto Deus fez como o homem fez. Tanto Deus está no controle da história, como o homem é responsável por suas escolhas. Tanto a bondade de Deus está presente na História, como a maldade do homem justifica os seus rumos.

Existe um conflito entre a soberania de Deus e a liberdade do ser humano. Soberania e liberdade, ambas se entrelaçam na mesma história. Deus não perdeu o controle, nem o homem deixou de ser responsável.

O homem faz tudo o que quer. Deus também faz tudo o que quer. O homem controi sua história. Deus também constrói a história do homem. O homem tenta atrapalhar a história de Deus, mas Deus atrapalha a história do homem.

O que está acontecendo? É decisão sua ou vontade de Deus? Não entre nesse labirinto. Na tente explicar as circunstâncias da vida, enquanto se vive. Não passe a maior parte do seu tempo procurando culpado ou responsável. Deus está além do nosso conhecimento.

Marta e Maria chegaram a responsabilizar Jesus pela morte do seu irmão Lázaro. Não pergunte de quem é a responsabilidade. Faça da seguinte maneira. Tendo acontecido o que aconteceu, o que eu devo fazer agora? Entenda e admita que você fez o seu melhor e pronto. A maioria das pessoas fica presa nesse labirinto de indagações. Vamos agir com confiança em Deus.

Leia Tiago 4:13-15; Atos 16:6.

Viva sua vida da melhor forma possível, sempre sabendo que acima de tudo Deus está no controle. O choro de José foi porque ele percebeu que os irmãos ainda continuavam os mesmos mentirosos, trapaceiros, sem entender a soberania de Deus.

Viva sua vida da forma mais digna que você puder e saiba que acima dela está Deus. Não fique lembrando do seu passado. Não fique preso nas cadeias daquilo que já passou. Não fique lambendo suas feridas, cadeias, midianitas ou coisas assim.

Não perca tempo procurando culpados. Deus não abençoa decisões, mas sim intenções. Ele não julga as suas mãos, mas o seu coração. Mesmo que você não entenda tudo ao seu redor, continue em frente, para a glória do nome de Deus. Liberte-se do passado e siga em frente, ao melhor de Deus, que está por vir. Deus está por cima de tudo isso, inclusive de você mesmo.

Deus te abençoe.

Apóstolo Anselmo Valadão.

Compartilhe



Veja também :