Ainda não há comentários

Um Deus que reinventa a maternidade.

Gênesis 3:15

Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar.

Vivemos em um mundo machista, que possui uma Bíblia totalmente patriarcal. Como entender o papel de uma mãe no meio disso tudo?

Logo após o episódio da queda do homem, o Universo e Criação aguardavam ansiosos pelo desfecho desta história, até então de fracasso. Todos esperavam o fim do primeiro casal. A Criação inteira ficou na expectativa de saber o que o Todo Soberano decidiria naquele momento. O que Deus faria? Destruiria toda a humanidade? Desistiria dos seus planos?

Deus resolve escolher uma parceira para seus planos. Em Eva, Ele contempla a genitora da solução para os problemas causados pelo pecado. Deus não abandona o homem, mas reinventa a maternidade. Por meio de uma mulher, toda a humanidade pode vir a ter esperança.

Do ventre da única mulher da Terra nasce a esperança de todos. Deus traz a mulher para o centro do Universo, e através dela, Ele faz com que todos os seres humanos retornem para o centro da sua vontade, para a sua presença.

Foi assim com Joquebede, mãe de Moisés. Ainda que estéril, com a benção do Senhor gerou o maior líder que andou sobre esta terra. O propósito interior de uma mulher é gerar vidas. No caso da mãe de Moisés, não apenas ela como também as parteiras, a irmã Miriã, até mesmo a filha do Faraó, contribuíram de forma significativa para o crescimento de um grande campeão: Moisés. Ele lidera uma multidão de escravos através do deserto e faz deste povo uma nação que mudaria a história de toda a Humanidade.

A esposa de Manoá, mãe de Sansão não temeu os filisteus, mas quando um anjo lhe apareceu, sua prontidão em obedecer a orientação de Deus, fez dela uma outra grande parceira de Deus.

Mesmo na Aliança Abraamica, a primeira tentativa do patriarca foi com Hagar, até que Deus deixa claro que sua escolha era por Sara. Apesar de receber o nome do marido, a aliança de Deus foi na verdade com Sara, uma mulher. Por meio do filho que ela gerou, a promessa de uma grande nação tem início.

O que dizer de Rebeca? O próprio Deus disse que desta vez o primogênito não seria o primeiro, mas o segundo filho. O primeiro, Esaú, inclusive havia se esquecido da bênção da primogenitura. Mas uma mulher, Rebeca, convicta das promessas de Deus, faz de Jacó o herdeiro das bênçãos do Senhor.

É incrível como num mundo patriarcal, Deus fazia Alianças com mulheres, trazendo através delas a ESPERANÇA para este mundo. No tempo de Ana, todo Israel passava por uma crise muito grande. Não havia unção. Não se ouvia a voz de Deus. Mas esta mãe, mesmo em tempo de dificuldades, gerou um dos profetas que mudou o destino daquela nação.

Isabel? Outra mãe, mesmo em idade avançada, viveu em um tempo em que o governo de Israel buscou em Roma a ajuda para governar. Roma, contudo passou a habitar a Terra Santa. Anás e seus filhos serviam no Tempo como sumo sacerdotes, quando na verdade, a Lei dizia que devia haver apenas um sumo sacerdote, e este deveria ser da linhagem de Arão. João Batista, este sim, filho de Zacarias e Isabel era descendente de Arão. Este último profeta cumpriu de fato a Lei do Senhor, sendo conhecido como o último grande profeta antes de Jesus.

Maria, mesmo sendo muito jovem foi achada agraciada diante de Deus para gerar o Seu filho. Homem que colocaria fim aos planos de Satanás e daria continuidade aos planos do Pai. Deus continua acreditando na Humanidade e investindo nela. Para mudar a realidade ao nosso redor, muitas vezes Ele utiliza-se de parceiras que dão a luz grandes campeões que mudam a história.

O próprio Jesus foi um rabino diferente. Segundo os costumes judeus um rabino não deveria nem conversar com as mulheres. Jesus teve seu ministério sustentado por elas. Maria Madalena foi inclusive a primeira missionária enviada por Jesus.

Que neste dia possamos celebrar a ESPERANÇA que sobreveio sobre todos, através das parceiras de Deus: mães que amam o tempo todo e geram filhos frutos das promessas de Deus. Vamos celebrar o amor de Deus, por meio do ato de gerar, graças às mulheres que Deus usa para cumprir sua vontade.

Deus abençoe.

Apóstolo Anselmo Valadão.

Publicar um comentário