Ainda não há comentários

Uma igreja que se importa com pessoas

I Co. 10: 16; 11: 17 – 34

Segunda pesquisas recentes, aproximadamente 200 templos cristãos são fechados na Europa, por mês. Na revista Isto é, o perfil religioso do Brasil, segundo o censo de 2010 tem mudado muito nos últimos anos. Nosso país cresceu muito na quantidade de evangélicos. Tanto para evangélicos quanto para católicos, os não praticantes ou apenas cristãos nominais são muitos. A Europa, assim como outros lugares do mundo precisa das boas novas de Cristo.

O crescimento do evangelho é notável, mas a atitude das pessoas é bem diferente desta verdade. Muitos templos da Europa se tornaram bibliotecas, cômodos comerciais e outros. Isto tudo representa uma afronta a Cristo. É a tentativa de zombar da causa de Cristo. A luta da igreja não é financeira, nem cultural ou contra outra religião. A luta da igreja é contra si mesma.

A Bíblia diz que as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja. O maior problema da igreja está dentro dela mesma. O comunismo tentou, mas nada conseguiu. É a própria igreja a culpada do que tem acontecido a ela. A mensagem de hoje não é para aqueles que saíram desta comunidade. Não é para os ausentes. A mensagem de hoje é para você. A igreja de Corinto não tinha em Diana o grande problema. A igreja deve ter responsabilidade consigo mesma.

A igreja de Corinto tinha pessoas que plantavam divisão no meio deles. Naquela Igreja, a Ceia era um grande momento de comunhão. Cada um trazia sua parte da refeição. Existiam diferentes tipos de pessoas naquele lugar. Alguns levavam muitas coisas, outros traziam pouco. Por causa disso, surgiam grupos que se afastavam dos outros durante a reunião, deixando os outros apenas como observadores e não como parte da comunidade. O mal daquele povo era a quebra do relacionamento. Todos desprezam a vida comunitária.

Paulo, ao observar aquilo tudo concluiu sobre seus erros. Eles pensavam ser autossuficientes. Pensavam não precisar de ninguém.

Igreja não é um local de eventos para reunir pessoas. Pessoas podem participar de todos os eventos da igreja, mas ainda sim não pertencer a ela. Podemos frequentar o mesmo lugar, mas ainda sim não sermos conhecedores um do outro. Perdemos o senso comunitário. Tornamo-nos pessoas impermeáveis, não acessíveis a mais ninguém.

Ficamos sem ser conhecidos, sem o senso do próximo. Você pode ser aquele que pensa que é autossuficientes. Tudo o que você tem alguém te entregou. Não devemos ser prepotentes como os daquela igreja. Ninguém é sábio o suficiente para cuidar de si mesmo. As pessoas olham para si e enxergam apenas o defeito do outro ou que o outro não seu nível. Quando você encontra alguém que não está no seu nível, deve ajudá-la a alcançar o seu.

Esta igreja era acomodada e preguiçosa. As pessoas que são assim não têm tempo para nada. Estão sempre cansados. Temos tempo para ir ao shopping, para falar dos problemas. Se Deus está no meio da Igreja, ele se importa com tudo o que acontece aqui e com as pessoas que frequentam este lugar. Infelizmente, as pessoas perderam o senso da comunidade.

Certo psicólogo disse ao seu paciente: fique pelo menos uma hora sozinho, por dia. O paciente procedeu conforme orientações médicas. Na semana seguinte, para o médico aquele rapaz explicou que mesmo sozinho, ele ficou bem ao ler seu livro do Fernando Pessoa, enquanto ouvia Tom Jobim. O médico disse que ele deveria ficar completamente sozinho, apenas consigo mesmo. Ele disse: impossível, nem eu mesmo me aguento.

Se não soubermos como lidar com o que Deus tem dado a você, o que é benção se torna maldição. Não queremos que você esteja aqui para sua própria condenação. Falamos da igreja de Atos, que somos uma igreja das famílias, das casas. Não gostamos do prédio, mas das pessoas que estão aqui. O que importa são as pessoas. O que pode derrubar ou condenar a igreja é a própria igreja. Nada pode se levantar contra a igreja. Deus corrige a sua igreja. Deus está interessado em que você participe da Ceia, mas que não faça isso para sua própria condenação.

Esta igreja estava sendo corrigida porque perdeu o senso do outro. Que hoje possamos entender a importância das pessoas e não dos números. Que tenhamos o coração de comunidade. Não o sentimento de atividade, mas de igreja, de comunidade. É tempo de praticar a igreja de Atos.

Ap. Anselmo Valadão.

06.11.2011

Publicar um comentário