O ensino da Palavra

E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a Palavra de Deus”.

Atos 1.18

Depois dos exemplos bíblicos de discipulado retirados de João, o Evangelista, de João (o Batista), de Felipe, vamos ao livro de Atos retirar da vida de Paulo um outro desses exemplos de dedicação ao ministério do discipulado.

Paulo, o grande apóstolo dos gentios, está em sua segunda viagem missionária quando chega à grande cidade de Corinto. A pregação do evangelho que faz causa alguns problemas iniciais, como sempre, o que poderia significar sua demanda para outra cidade, quando o Senhor mesmo vem ao seu encontro e lhe diz claramente que ele deveria ficar “pois tenho muito povo nesta cidade”.

Ele vai atender à ordem divina, e durante um ano e meio fica ale, “ensinado entre eles a Palavra de Deus”.

Da maneira como é narrada a história neste livro, fica claro que Paulo ensinava, ou seja, pregava o evangelho a todos e em todos os momentos de sua vida. Na sinagoga, na casa de Crispo, nas casas dos coríntios que se salvavam, nas praças sem dúvida, Paulo testemunhava do evangelho, e em todo tempo que ali ficou, o nome de Cristo foi exaltado como Senhor e Salvador.

Fico a pensar em nossa vida. Um ano, um ano e meio, dois, dez, vinte ou mais, com estamos nos usando? “Ensinando entre eles a Palavra de Deus”? Ou omissos e reticentes não falamos de Cristo, não pregamos a sua mensagem, não mostramos com nossa vida a sua salvação?

Durante um anos e meio, ou seja, todo o tempo que passou em Corinto, Paulo “ensinou a Palavra”. Nós, os discípulos de hoje, estamos tendo esta mesma disposição? Estamos ensinando aos que nos cercam a Palavra de Deus?

“Faze-me, Senhor, não ter divisões em minha vida. Que ela seja um permanente testemunho do evangelho, no lar, no trabalho, na vizinhança”.

Compartilhe



Veja também :